AM 1120 SJP

participe via
whatsapp

4130581120
Rádio Mais > Notícias da Mais
Gasolina brasileira é a 3ª mais cara em lista que analisa poder de compra do consumidor 25 de abril de 2022 - 16:09
(Foto: Divulgação)

A gasolina brasileira é a terceira mais cara de uma lista de 29 países mais a zona do euro, segundo cálculo da Oxford Economics que considera o poder de compra do consumidor. 

Conforme a consultoria, um litro de gasolina equivale a 9% do salário médio diário no Brasil, mesmo porcentual verificado no Paquistão. Apenas nas Filipinas (19%) e na Indonésia (13%) o combustível tem peso maior no orçamento da população.

Comparada à renda, a gasolina brasileira é mais cara que a vendida nos países latino-americanos incluídos no estudo – México (7%), Chile (3%) e Colômbia (1%) – e também supera emergentes como China (6%), Turquia (5%) e África do Sul (2%).

Em outro ranking, elaborado pelo site Global Petrol Prices, a gasolina brasileira é a 53.ª mais cara dentre 170 países. Nesse caso, os preços locais são convertidos para o dólar e não é considerado o poder de compra em cada país.

A Oxford Economics calcula que desde outubro de 2016, quando a Petrobras adotou o regime de preço de paridade de importação (PPI), a gasolina subiu 57%, já descontada a inflação.

Anteriormente, com uma política conhecida como "flutuação suja", a Petrobras absorvia boa parte das oscilações do câmbio e do preço do petróleo. De 2012 a 2014, quando essa prática foi mais intensa, o custo para os cofres da companhia, em lucros cessantes, foi de aproximadamente 5,5% do PIB, calcula a Oxford Economics.

Ainda segundo a Oxford Economics, se a Petrobras mantiver os preços estáveis até o fim do ano, estará subsidiando a gasolina em aproximadamente 18%, a um custo de US$ 68 bilhões. A estimativa considera as previsões da empresa para petróleo e taxa de câmbio nos próximos meses. 

Relacionados

Desenvolvido por: